quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

1

A Hidrosfera

Hidrosfera é uma das partes da estrutura da Terra. É o conjunto das partes líquidas que aparecem na superfície terrestre, correspondendo a 71% da superfície, cuja espessura média é de 3 km e a densidade é igual a 1,02. O maior volume dessas águas está concentrado nos Oceanos e Mares, além dos rios, lagos, lagoas e regiões pantanosas.

É através da Hidrografia, parte da geografia física, que são estudados os cursos de água corrente e de águas paradas; o estudo dos Oceanos é realizado pela Oceanografia.

Além das águas superficiais temos também as águas subterrâneas produzidas pela hidratação, ou seja, pela penetração da água nas rochas facilitada pela sua permeabilidade e pelas rachaduras (diáclases) apresentadas. A água que penetra no solo através dessa permeabilidade provoca uma hidratação das rochas, diminuindo a densidade. Essas águas são responsáveis pela decomposição química. Ex. o sulfato de cálcio se transforma em gesso; a hematita em limonita (óxido de ferro hidratado); os granitos e os gnaisses cuja desagregação é muito lenta e os feldspatos são transformados em argilas; o basalto em terra roxa, etc.

Variando de uma região para outra conforme os tipos de relevo e de climas a ação das águas exerce diferentes formas de decomposição das rochas (química ou mecânica).

As águas que se infiltram em solos permeáveis superficiais formam os lençóis aquíferos. No Brasil, por exemplo, temos o Aquífero Guarani na região Centro-Sul; ele se estende desde o sul de Goiás, Mato Grosso do Sul, parte de Minas Gerais, Centro oeste de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, abrangendo também parte do Paraguai, Argentina e Uruguai, com depósitos profundos de 300, 500 e até 800 metros. Há ainda no Brasil outros dois Aquíferos: o de Gurgéia no Nordeste que se estende desde a represa de Sobradinho (BA) até o rio Parnaíba e entre São Raimundo Nonato, e Corrente no Piauí; e o aquífero Amazônico numa faixa sob Manaus, desde cerca de Santarém, predominando ao sul do Solimões até 200 km de Rondônia, seguindo até o Acre. Os lençóis subterrâneos são os responsáveis pela existência de nascentes e fontes que devolvem a água à superfície na forma de rios responsáveis pela origem da maior parte das bacias hidrográficas.

Se os terrenos forem de rochas superficiais impermeáveis, quando chove temos um escoamento muito rápido sendo que em algumas regiões na época das secas alguns rios se tornam temporários.

Tipos de águas que se observam na natureza: 1- águas juvenis – provenientes de fontes de origem magmática e que ainda não fazem parte do ciclo hidrológico. Seriam provenientes de um lento e contínuo processo de desprendimento de gases do interior do planeta. 2- águas termais – com águas quentes, como por ex, Caldas Novas, Rio Quente, Poços de Caldas, etc; 3- águas minerais – que apresentam sais ou gases em sua composição e são próprias para tratamentos de saúde. Ex. Caxambu, Araxá, Lindóia, etc, com estâncias minerais; 4- Gêiseres – são fontes termais intermitentes. Com exemplo típico temos o gigantesco parque de Yellowstone.

Um comentário:

  1. Linda foto peguei por que vo fazer um trabalho obrigada!

    ResponderExcluir